Sábado, 23 de Junho de 2018

Buscar  
Minas Gerais

Publicada em 09/03/18 às 15:35h - 77 visualizações
TAC garante preservação de Mata Atlântica em Juiz de Fora
Ação do Ministério Público de Juiz de Fora permitiu a preservação da Mata Atlântica na cidade.

Por Guilherme Reis


 (Foto: Reprodução da Internet)

A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Juiz de Fora firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com incorporadora, para garantir a preservação da Mata Atlântica em imóvel onde será construído conjunto residencial no município.

De acordo com a promotoria de Juiz de Fora, o inquérito foi instaurado a partir da apresentação de documento pela Inter Construtora, que mostrava a intenção de construção de 200 apartamentos em oito torres, inseridos no Programa "Minha Casa Minha Vida". O documento apontou que o terreno de 9.028 metros, além de conter importantes fragmentos de Mata Atlântica, está localizado em área subjacente à Reserva Biológica (ReBio) Santa Cândida.

A investigação do Ministério Público constatou que houve desmatamento na região, antes e depois da propriedade ser adquirida pela Inter Construtora e Incorporadora, e que mesmo após o desmatamento, as características de floresta estacional semicidual em estágio médio e avançado de regeneração, não foram perdidas.

A vistoria também confirmou que a área apresenta somente 19% de vegetação, contrariando as leis ambientais. A preservação vegetal nativa em estágio avançado de regeneração deve atingir 50% da área, e no caso de regeneração média, 30%.

Além disso, a lei proíbe a supressão de vegetação em estágio avançado e médio de regeneração do Bioma Mata Atlântica quando a mesma abrigar espécie da flora ameaçada de extinção. Foram encontrados pés de palmito juçara a menos de 10 metros de distância da área suprimida.

O responsável pelo inquérito, o promotor Alex Santiago, explicou que o TAC será acompanhado sistematicamente. "Não basta apenas assinar o TAC, tem que cumprir. Neste caso, a empresa tem um diferencial, porque teve boa vontade em apresentar as informações e, inclusive, readequou o projeto para duas torres".

Santiago ainda enfatizou que a defesa da Mata Atlântica é prioridade na região. "Já fiz várias reuniões com a polícia para que fosse dada prioridade para a preservação de mata da atlântica. Estamos em uma região com a presença deste bioma, precisamos da sua preservação", enfatizou.

 

O TAC estabelece que a empresa deve:

Apresentar, em 120 dias, plano de recuperação do solo e recomposição da vegetação de toda a propriedade e executá-lo após aprovação;

Garantir a preservação de vegetação nativa em estágio avançado de regeneração em no mínimo 50% da área do imóvel;

Reparar os danos ambientais já causados à vegetação de Mata Atlântica mediante indenização de R$ 84.208,48, a ser empregada em finalidades ambientais na comarca de Juiz de Fora;

Não realizar qualquer intervenção na propriedade que represente supressão de vegetação sem autorização prévia do órgão ambiental estadual;

Informar ao órgão ambiental a existência de espécie da flora ameaçada de extinção e apresentar, em eventual pedido, levantamento florístico de toda a propriedade;

Reformular o projeto, reduzindo o empreendimento de oito para duas torres.

Doar 2000 mudas de espécies do bioma mata atlântica para projetos de reflorestamento na região.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Redes Sociais


(32) 99811 - 2765

Publicidade Lateral
Hora Certa
Colunistas

Valber Augusto

Curiosidades marcam a primeira eleição direta do país, há 120 anos


Izaída Stela do Carmo Ornelas

Que valores são mesmo de valor? A que valores você dá valor?


Guanayr Jabour Amorim

TURISMO & DESENVOLVIMENTO


Enquete
Você é a favor da transmissão das reuniões da Câmara Municipal de Divino-MG?

 Sim
 Não

Estatísticas
Visitas: 2127351 Usuários Online: 317


Parceiros
Parceria de sucesso

Fique por dentrro dos principais acontecimentos de Divino e região!
Copyright (c) 2018 - Jornal O Impacto - Todos os direitos reservados